AS ARTES NA BÍBLIA

Reflexsão 1 Samuel 15:24
1 de junho de 2018
QUANDO DEUS BALANÇA
6 de junho de 2018

AS ARTES NA BÍBLIA

Vamos examinar rapidamente o que a Bíblia tem a dizer sobre as artes e os artistas. Além de ser a infalível Palavra de Deus e um agente de transformação de vidas, a Bíblia em si mesma é uma obra de arte. Pessoas por toda a História a tem estudado como exemplo de literatura requintada. Um desses estudiosos foi Frank E. Gabelein, que escreveu: “é um fato que acima e além de qualquer outra peça de literatura mundial, de Homero a Virgílio, Dante, Cervantes, Shakespeare, Milton e Goethe, a Bíblia tem sido o livro mais plenamente reconhecido como notável”.

A Bíblia é rica em seu uso artístico da metáfora. Meu exemplo favorito é o último capítulo de Eclesiastes, onde o processo de envelhecimento é tratado metaforicamente e comparado a uma casa: “No dia em que tremerem os guardas da casa, os teus braços, e se curvarem os homens outrora fortes as tuas pernas, e cessarem os teus moedores da boca, por já serem poucos, e se escurecerem os teus olhos nas janelas; e os teus lábios, quais portas da rua, se fecharem; no dia em que não puderes falar em alta voz, te levantares à voz das aves, e todas as harmonias, filhas da música, te diminuírem” (12:3-4).

Os “guardas da casa” que tremem referem-se às mão que vibram quando alguém envelhece. Os “moedores” referem-se aos dentes e à nossa propensão de perdê-los quando envelhecemos. A perda de nossa visão é descrita como olhar por uma janela e ter a imagem se escurecendo. Outras referências como a curvar-se, perder a audição e Ter insônias estão incluídas nessa inteligente analogia. Em vez de descrever o processo de envelhecimento usando termos clínicos, o autor apela para a nossa imaginação, e ao fazer isso, nos faz sentir a tristeza de envelhecer.

A Bíblia também contém poesia escrita com uma grande dose de habilidade e sofisticação. Os Salmos, Jó e Cantares são ao mais notáveis exemplos de poesia bíblica.

O teatro é mencionado pela primeira vez na Bíblia quando Ezequiel é instruído para “representar” uma peça, descrevendo o cerco de Jerusalém. Ele desenhou a silhueta da cidade usando-a como um cenário familiar. (Ez 4). Jesus muitas vezes falou em parábolas, contando estórias intrigantes e pitorescas, com um belo conteúdo teatral.

As artes visuais tiveram um papel importante na construção do tabernáculo (Êx 31:1-11). Francis Shaeffer chama a atenção para o fato de que o tabernáculo envolvia toda forma de representação artística conhecida pelo homem. As artes visuais também desempenharam um enorme papel na construção do templo. De fato, o templo foi decorado com esculturas e gravuras da mais alta qualidade (1Rs 6.15-36; 7.23-39; 1e 2 Cr3.5-7; 4. 1-7). Em 1 Reis 6.4, lemos que Salomão “fez janelas com molduras artísticas”. Alguns dos trabalhos de arte no templo, como certas colunas, não tinham utilidade (2Cr 3.15-17). Era a beleza pela beleza.

A música também é mencionada freqüentemente na Bíblia. Cantar era parte integrante da cultura Hebraica. O livro de Salmos é, na verdade, um hinário que continuamente exorta-nos a cantar ao Senhor (Sl 149.1). A nação de Israel não apenas cantava durante o período de adoração; eles cantavam enquanto trabalhavam (Nm 21.16-18). Davi cantou uma canção que escreveu quando da morte de Saul e Jônatas (2Sm 1.19-27). E ao folhearmos as páginas do livro de Apocalipse, fica óbvio que estaremos cantando, e muito, no céu (19.1-8).

Ao lermos a Bíblia encontramos claramente a presença das artes e de seus artistas, como prova de que nosso Deus, e alguém criativo e Criador.

Rev. Ricardo Alexandre da Silva
IMW Central Porto Velho
REFLEX’SONS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − um =